RFID Artigos

Nosso futuro, o status em tempo real das coisas

Logo seremos capazes de saber não só a localização de cada item, mas também sua temperatura, movimento, vibração, umidade e uma série de outras variáveis

Por John Shoemaker

5 de junho de 2014 - Tendo passado 30 anos na identificação automática e coleta de dados (AIDC), acho que a minha visão sobre o futuro é menos nebulosa. Pelo menos cinco tendências "conectadas" parecem óbvias para mim, mas reconheço que as implicações dessas tendências são importantes para entender as possibilidades para todos nós.

Primeiro, nos primeiros anos, as empresas de tecnologia estavam preocupadas com as velocidades, alimentação ou faixas de identificação por radiofrequência e produtos sem fio. Feiras eram mais para provar que "as nossas coisas são melhores do que as suas coisas", e quem tinha os melhores aparelhos: leitores, etiquetas, antenas e assim por diante.

Os clientes de hoje que gastam dinheiro estão focados em soluções, não em hardware. Portanto, a questão é um desafio: "como qualquer tecnologia pode resolver um problema?" Os clientes não compram produtos: eles compram uma solução. Para fornecer uma solução deste tipo é necessário muito pensamento diferente em termos de pesquisa de um problema e configurar uma solução com a noção de que uma única empresa nem sempre tem todos os componentes necessários. Provavelmente, deverá envolver parceiros. A criação de uma rede de parceiros é essencial, a menos que uma empresa seja grande o suficiente para financiar um empreendimento vertical com vendas diretas, integração e suporte.

Em segundo lugar, tudo parece estar se movendo para a nuvem. A AIDC tem a capacidade perfeita de captura de dados para alimentar a nuvem com informações de identificação que podem ser transformadas em inteligência significativa. A nuvem se conecta a todos para um mundo de possibilidades.

Em terceiro lugar, em um mundo de nuvens, a conectividade da Internet das Coisas – uma rede mundial que cria uma biblioteca viva e pulsante – terá que alterar a mente. Ela irá fornecer um incrível nível de visibilidade e acesso a tudo o que nos rodeia.

Em seguida, a tecnologia AIDC será combinada com a internet, suportada por nuvens e mobilidade interativa em um nível nunca antes conquistado. Todos os tipos de dispositivos inteligentes reforçarão a nossa capacidade de capturar, armazenar, gerenciar e agir enquanto estiverem em movimento, com detalhes que impulsionam as decisões cada vez mais inteligentes. A progressão continuada de celulares, tablets e outros novos dispositivos sem fio vai se espalhar rapidamente.

Finalmente, essas decisões serão apoiadas não só por identificação de todos os itens (bens, veículos, pessoas etc.), mas também por saber o seu oportuno status em tempo real. Os sistemas de localização em tempo real (RTLS – Real-Time Location Systems) farão parte do que vou denominar como o status em tempo real das coisas (RTST – Real-Time Status of Things). Nós seremos capazes de encontrar um item específico e saber a sua localização e uma série de características variáveis, como temperatura, movimento, vibração, umidade e segurança, para citar alguns, que revelam seu status exato em um dado momento.

Tal conhecimento RTST oferecerá um nível de inteligência e interação com cada "coisa" que nunca se pode imaginar. Ele vai abrir um mundo de oportunidades para todos nós.

John Shoemaker é o vice-presidente executivo da Identec Solutions, provedora de soluções de tecnologia sem fio para atender as necessidades de segurança, produtividade e eficiência das pessoas em ambientes agressivos.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »